O Professor

Em 1881 faleceu o professor da Academia Portuense de Belas Artes, Manuel da Fonseca Pinto, deixando vaga a cadeira de escultura na APBA. Os amigos de Soares dos Reis pediram-lhe que concorresse, mas ele, a princípio, não quis.

Academia de S. Lázaro (Academia Portuense de Belas Artes)

Academia de S. Lázaro (Academia Portuense de Belas Artes)

Hesitou muito antes de aceitar o lugar,

não que lhe repugnasse o ensino ou lhe faltasse o desejo de frutificar em outros, os recursos da sua aptidão própria, mas porque sentia que a sua entrada na Academia, só se podia dar, quando reformas profundas a colocassem em circunstâncias compatíveis com as ideias que bebera no seu longo tirocínio artístico, no estrangeiro,

só o fazendo após lhe terem asseverado que unicamente como

professor daquele estabelecimento é que podia remover os embaraços com que contava, visto o estado em que se encontrava o ensino na Academia, e sobretudo na aula de Escultura.

Só à última da hora, na mesa dum antigo Café de S. Lázaro, é que escreveu o requerimento. As provas do concurso foram:

Narciso, de perfeita execução, uma academia impecável,

Narciso, gesso, 1881 -

e

Morte de Adónis, em baixo-relevo, que é uma obra-prima.

Morte de Adónis , gesso, 1881 -

 Entrou no professorado. Em 20 de Janeiro de 1882 foi aceite, por unanimidade, Professor de Escultura da Academia Portuense de Belas Artes.

Anúncios